AVC

É a morte de tecido do cérebro (infarto cerebral) em decorrência de um déficit de oxigênio no cérebro por causa de uma alteração na irrigação. Pode ser isquêmico (falta de irrigação) ou hemorrágico (ruptura de um vaso sanguíneo, o que causa a interrupção da circulação normal, pois o sangue acomete áreas cerebrais). Num AVC por falta de irrigação, a obstrução pode ocorrer em qualquer uma das artérias que chegam ao cérebro. Quando alguma das carótidas (artérias que transportam grande parte do sangue que chega à cabeça) é acometida, a situação é grave.

causas

As artérias podem sofrer obstrução por:

sintomas
Os sintomas dependem da área do cérebro afetada. Num quadro de AVC agudo, apresenta-se dificuldade para respirar e paralisia, que geralmente acomete um lado do corpo (incluindo a face, o tronco, a perna e o braço). Ocorre a sensação de pele viscosa e também problemas na fala. Geralmente, há uma rápida perda da consciência; entretanto, algumas pessoas podem permanecer conscientes embora em um estado de confusão mental. Num quadro de AVC transitório, manifestam-se os mesmos sintomas com intensidade mais leve. Quando os ramos da artéria carótida são acometidos, os sintomas mais freqüentes são cegueira de um olho e alteração da sensibilidade com fraqueza. Quando as artérias afetadas são ramos das artérias vertebrais, com freqüência existe tontura, visão dupla e fraqueza geral. Nos AVC, as lesões afetam somente um lado do cérebro e a manifestação ocorre no lado oposto pelo cruzamento dos nervos.

diagnósticos
O médico pode realizar um diagnóstico pela análise do histórico dos fatos e do exame clínico, que ajuda na localização da lesão cerebral. Via de regra, realizam-se tomografia computadorizada e ressonância magnética, que permitem melhor avaliar o tipo e o local da lesão. Quando a causa é um coágulo ou uma embolia e o problema de base não for corrigido, pode ocorrer outro evento isquêmico.

tratamentos
A ação médica imediata pode limitar a lesão e evitar danos adicionais. O primeiro socorro é administrar oxigênio e fazer com que a pessoa receba líquidos e alimentação por via endovenosa. Para diminuir a inflamação, e a decorrente pressão no cérebro, realiza-se tratamento farmacológico com manitol. Quando tiver ocorrido uma trombose, pode ser aplicado um tratamento de emergência com uma droga denominada "ativador do plasminogênio" (RTPA), que pode reverter os sintomas do ataque.

Fonte:
The Merck Manual of Medical Information - Home Edition